PINHEIRO DO PARANÁ (Araucaria angustifolia)

Araucaria

 

Ocorrência – Minas Gerais, Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul
Outros nomes – pinhiero, araucária, pinho, pinho brasileiro, pinheiro brasileiro, pinheiro são josé, pinheiro macaco, pinheiro caiová, pinheiro das missões, curi, curiúva, paraná pine.
Características – árvore alta com 25 a 50 m de altura, dióica, com o tronco cilíndrico, de casca grossa, cuja superfície se desprende em placas cinzento-escuras, diâmetro variando de 90 a 180 cm. As árvores jovens tem a copa cônica, e as adultas têm um formato característico de taça. As folhas são simples, lanceoladas, glabras, coriáceas, verde-escuras, com o ápice espinescente, e medem de 3 a 6 cm de comprimento e de 4 a 10 mm de largura. Os indivíduos masculinos têm as flores distribuídas em cones terminais retos.  Nos indivíduos femininos as flores estão dispostas em cones (pinha) no ápice dos ramos, protegidos por numerosas folhas muito próximas umas das outras, cada cone com 10 a 150 sementes (pinhões). Um Kg de sementes contém aproximadamente 150 unidades.
Habitat –floresta de araucária
Propagação – sementes
Madeira – leve, macia, pouco durável quando exposta ao tempo.
Utilidade – já foi muito utilizada para exploração da madeira, o pinho, mas em função da exploração irracional, foi quase extinta, estando hoje sua exploração controlada pelo IBAMA. Os pinheiros novos são usados na composição de jardins e parques de grandes  dimensões,  devido  ao  porte  da  planta.   Os pinhões fornecem alimento nutritivo, e sua madeira tem grande potencial para produção de móveis, caixas, instrumentos musicais e para fabricação de papel.  A resina extraída pode ser utilizada na fabricação de produtos químicos. Os frutos são muito consumidos pela fauna.
Florescimento – setembro a outubro
Frutificação – abril a maio
Ameaças – destruição do habitat e corte indiscriminado


Voltar

                                             
                                   

        Sitio Vitoria regia   Reflorestamento e Mudas